Situação volta à normalidade na área industrial da Baixada Fluminense

12 de dezembro de 2013

Nacional



Situação volta à normalidade na área industrial da Baixada Fluminense
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-12-12/situacao-volta-normalidade-na-area-industrial-da-baixada-fluminense
Dec 12th 2013, 14:56

Alana Gandra

Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro - A situação já se estabilizou na área industrial da Baixada Fluminense, após a chuva que castigou fortemente a região nos últimos dois dias, provocando inundações e prejuízos para moradores e empresas, disse hoje (12) à Agência Brasil o vice-presidente da representação da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) na região e presidente da Associação de Indústrias de Queimados, Marcelo Kaiuca.
"Ontem foi um ponto fora da curva", avaliou o empresário. Devido às enchentes que ocorreram em vários municípios da Baixada Fluminense localizados ao longo da Rodovia BR-116, a Via Dutra, que liga os estados do Rio de Janeiro e São Paulo, o índice de faltas de empregados nas indústrias locais atingiu em torno de 30%, comprometendo a distribuição de produtos.
Segundo informou Kaiuca, as indústrias da Baixada Fluminense não conseguiram entregar ontem (11) 10% do que é carregado em dias normais pelos caminhões. "Foi um dia catastrófico, um prejuízo muito grande", acrescentou.
Marcelo Kaiuca assegurou que a perda sofrida pelas indústrias "é irrecuperável". O mês de dezembro tem um número de dias úteis menor que os demais meses, em função das festas do Natal e do Ano-Novo. "E o que acontece é que nos dias que você tem para trabalhar melhor, você não consegue. Não recupera mais [a perda sofrida]", disse.
Hoje (12), apesar de ainda estar chovendo no Rio de Janeiro, o empresário informou que as indústrias da Baixada Fluminense retomaram as entregas e os funcionários puderam comparecer aos locais de trabalho, sem problemas.
A Firjan tem cerca de 11 mil associados em todo o estado. Somente no Distrito Industrial de Queimados estão instaladas 23 empresas, entre as quais Gerdau, Artsul, P&G, Weber, Deca, Kaiser, NKS, Multibloco, Piraquê, Ortobom, Duratex e Burn. Até o final de 2014, a previsão é que esse polo abrigue 40 indústrias de todos os portes, de diversos ramos de atividade.
Edição: Davi Oliveira
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/s69/CPKY01

Espalhe: